A cada dia que passa os problemas aumentam com a estiagem em Mato Leitão. O secretário da Agricultura, João Carlos Machry, afirmou em entrevista na Rádio Venâncio Aires que a situação é difícil nas propriedades do interior.
Além das perdas na produção, especialmente na cultura do milho, os agricultores enfrentam agora o risco da falta de água para matar a sede dos animais. Machry disse que o ‘socorro’ está vindo de açudes com o transporte de água sendo realizado pela Prefeitura. “A chuva das últimas semanas é pouca e irregular. Em alguns pontos até chove bem e, logo adiante, nada”, disse.
O agricultor Odemir Guterres de Carvalho, de Santo Antônio, registra há muitos anos as precipitações de chuva. Nos últimos meses o melhor volume ocorreu em outubro com 145 milímetros. Depois disso, novembro, dezembro e até agora, somente pancadas isoladas com volumes abaixo de 50 milímetros.
Além de atender emergências com transporte de água para animais, limpeza e ampliação de reservatórios a Prefeitura intensificou o fechamento de silos. Desde 10 de dezembro, as equipes atenderam mais de 160 pedidos. “O milho destinado em sua grande maioria para grão passou a ser usado para silagem. Foi a alternativa encontrada pelos produtores para diminuir os prejuízos”, afirmou.
Mato Leitão decretou em dezembro Situação de Emergência, documentação que está sendo analisada na Defesa Civil Estadual. E, deste a última quarta-feira (12), está em vigor decreto determinando racionamento de água.